Obesidade pet – saiba se seu animal está acima do peso e quais os riscos

#AgitoPet

Assim como nos humanos, o peso pode interferir na qualidade de vida e longevidade de seu pet

Ter um animal de estimação é ter um complemento na nossa rotina, além da troca reciproca de amor e carinho, é importante estar atento a qualidade de vida dele.  Nem sempre é fácil resistir à cara de pidão que o pet pode fazer quando quer algum alimento diferente e de preferencia que está sendo cozinhado ou consumido na hora, mas, esses excessos podem contribuir para o aumento de seu peso e leva-lo ao quadro de obesidade. “Todo animal deve ter uma dieta balanceada. Existem alimentos que podem e que não podem ser consumidos por eles. Comidas muito gordurosas ou cheias de corantes e conservantes, como os junk foods, se oferecidos com frequência, podem contribuir para o aumento do peso e também para o desenvolvimento de doenças mais severas, como as estomacais e também renais” – afirma.

Apesar de parecerem mais fofinhos, os animais que apresentam quadro de obesidades podem ter diversos problemas de saúde acometidos pelo excesso de peso em seu organismo. “Animais castrados podem apresentar um aumento de peso significativo, entretanto não apresentar obesidade, cabe ao tutor ficar atento a sua saúde. Os problemas respiratórios e cardíacos são os primeiros indícios de obesidade, em seguida os altos índices de colesterol e também diabetes. Problemas de locomoção e sedentarismo podem acarretar em depressões” – comenta.

Para evitar que o seu animal se torne obeso, é importante manter uma alimentação balanceada, oferecer alimentos apenas prescritos pelo médico veterinário de sua confiança, não ceder às chantagens por petiscos e torna-lo mais ativo. “Atualmente existem diversas maneiras de controlar o peso do seu pet. No mercado, encontram-se rações próprias para isso, mas caso o tutor opte por uma dieta natural, com o uso de alimentos como arroz, vegetais e carne, é imprescindível saber a dosagem e a harmonização, para que não falte ou sobre nutrientes e proteínas no organismo” – finaliza Carol.

Deixe uma resposta