Petz orienta sobre cuidados com coelhos não só na Páscoa

#AgitoPet

 

Veterinária alerta sobre a importância da posse consciente nesta época do ano, quando a procura pelo pet aumenta 30%

Além de símbolo da Páscoa, eles são bonitinhos e fofos. Por isso, nesta época do ano, a venda de coelhos aumenta 30% na Petz. Para evitar a compra por impulso, a rede de pet shop oferece todas as informações para a posse consciente desse bichinho. “O coelho precisa de cuidados e atenção por toda a vida, por isso a decisão de ter o pet deve ser bem pensada, e não apenas por causa da data”, afirma a veterinária Mariana Pestelli, gerente técnica dos setores de Safári e Aquarismo da Petz.

Ela explica que a expectativa de vida de um minicoelho é de 8 anos e, durante todo este período, ele precisará de carinho e cuidados, como limpeza, alimentação, banho e tosa de vez em quando, visita ao veterinário todo ano, brinquedos e muita atenção. O minicoelho é considerado um bichinho de estimação alta, pela praticidade, por ser pequeno, limpo, não fazer barulho, aprender a fazer as necessidades na caixinha e não precisar de muito espaço para viver, sendo uma ótima opção para quem mora em apartamento pequeno.

No momento da compra, os clientes recebem um manual de cuidados e explicações, que dá dicas sobre a ração específica para a espécie, os tipos de gaiolas e o granulado que deve ser usado no fundo delas – oferecendo, ainda, acessórios como coleiras e brinquedos para coelhos.

Higiene

A Petz também tem um serviço exclusivo de higiene e cuidados para os coelhos. “O pelo embaraça, a unha cresce e pode haver assadura se não tosar algumas regiões”, explica William Galharde, gerente de estética da Petz. “Diferentemente de antigamente, quando eram criados no quintal, agora os coelhinhos ficam dentro de casa. Então, eles precisam de cuidados como os outros bichinhos.”

11 dicas para cuidar dos coelhinhos

  1. O ideal é ter uma gaiola específica ou cercadinho para manter o bichinho em espaço restrito quando não tiver ninguém em casa. Como pode atingir 40 cm de comprimento e até 2,5kg, é importante que fique em gaiolas pelo menos 2 vezes maior que o seu tamanho.
  2. 2. Com supervisão, ele deve ser solto pelo menos uma vez por dia para se exercitar, esticar as patas, brincar e interagir com as pessoas da família. Mas não pode viver completamente solto na casa, porque vai acabar roendo móveis, fios e pode se machucar.
  3. 3. Todos os dias devem ser trocadas a água e a ração, além de oferecer alimentos frescos, que podem variar a cada dia entre verduras, frutas e legumes.
  4. A limpeza da gaiola ou cercado deve ser feita duas vezes por semana, pois o granulado absorve o xixi. Pode se colocada também uma caixinha higiênica como as de gatos.
  5. Oferecer brinquedo ajuda a desgastar o dente, caso contrário, ele pode acabar roendo móveis. Esses pets têm como característica o crescimento contínuo do dente.
  6. Sensíveis, eles se assustam facilmente. É ideal que fiquem em locais calmos, sem ruídos.
  7. É preciso levar ao veterinário todos os anos. Vacina só é recomendada para animal de corte, os coelhos domésticos não precisam.
  8. Apesar de se adaptarem bem em todas as famílias, aquelas com crianças pequenas devem ensiná-las a carregá-los da maneira correta para evitar fraturas e quedas. Segure sempre apoiando suas patas dianteiras e traseiras.
  9. A higiene pode ser feita com lenços umedecidos, mas também é aconselhado o banho em centros de estética com experiência em coelhos. Por serem animais altamente estressáveis, não recomendamos o banho em qualquer local.
  10. Uma das raças mais procuradas é a lion, que é bem peluda, com juba em volta da cabeça, mas precisa ser escovada e levada ao centro de estética de vez em quando para tosas e banho.
  11. Os coelhos e lebres não são roedores, e sim lagomorfos. Os dois tipos possuem muitas semelhanças, mas alguns pontos os diferenciam, como a configuração dos dentes.

2 thoughts on “Petz orienta sobre cuidados com coelhos não só na Páscoa

Deixe uma resposta