Proteja seu pet contra a raiva no Centro Veterinário Seres, do Grupo Petz

#AgitoPet Experiências #AgitoSP

Agosto é o mês que precisamos vacinar nossos pets contra a raiva, zoonose grave que ataca o sistema nervoso central e é transmitida através da mordida de animais infectados, sendo fatal tanto para cachorros quanto para humanos.

Como mais uma vez a prefeitura não realizou campanha da vacina, é mega importante você não deixar de proteger seu melhor amigo.

O Grupo Petz e o Centro Veterinário Seres estão realizando campanha exclusiva de vacinação contra a raiva com opção “Zero Contato” e à domicílio.

Nós conhecemos o Seres da Ricardo Jafet e fomos super bem atendidos pela Dra. Danielle e a Dra. Aline. Antes de aplicar a vacina 💉 anti-rábica no Lucky e na Peppa, a Dra. realizou um exame físico neles, aferiu a temperatura, olhou os dentinhos e também as orelhinhas.

Esta unidade é 24 horas e tem uma excelente infra-estrutura para receber e cuidar do seu pet. Conta com salas de espera, consulta e recuperação distintas para cães 🐶 e gatos🐱 (para os gatos há um cheirinho diferente e também assim eles não ficam estressados com os cães).

Ah e o legal é que na sala de consulta não tem aquela temida mesa de metal para colocar o Pet em cima, a mesa é de madeira. E também tem um ambiente mais acolhedor.

Usualmente em uma emergência ou acidente não sabemos bem onde levar nossos pets, então vale ressaltar que o Seres não tem somente consultas, possuí uma sala de reabilitação com fisioterapia, ambiente cirúrgico, sala exclusiva para cirurgia dentária (para evitar e controlar o risco de infecção), laboratório próprio (o que facilita muito quando precisa fazer algum exame e você não precisa se deslocar com seu bichinho), equipamentos de raio-x, tomografia, ecocardiograma, eletrocardiograma e ultra-som.

Para saber mais, acesse seres.vet

A vacina 

Uma das principais vacinas, a antirrábica imuniza o pet contra a raiva canina. A doença é uma zoonose grave que ataca o sistema nervoso central. Seus sintomas são agressividade, falta de coordenação motora e salivação excessiva. A doença é transmitida através da mordida de animais infectados e é fatal tanto para cachorros quanto para seres humanos. Assim, a vacinação anual é obrigatória e auxilia no controle da doença. 

A vacina antirrábica deve ser tomada a partir de 12 semanas de vida tanto para cães quanto para gatos, de acordo com orientação do veterinário. Depois disso, deve ser reforçada anualmente, respeitando o calendário de vacinação. É administrada em uma dose única inicial com reforço anual. Para os bichanos adultos, a aplicação pode ocorrer junto da última dose da polivalente. 

Vale destacar que atualmente a raiva em humanos foi praticamente erradicada no Brasil. É de vital importância administrar a vacina antirrábica nos pets, para garantir que ela continue sendo rara. 

Quais os sintomas comuns? 

Nos pets, a raiva provoca comportamento agressivo (por isso o nome da doença), dilatação das pupilas, hipersalivação, dificuldade para engolir, irritação, alterações na forma de andar natural, contrações e espasmos musculares faciais e paralisia dos membros. A enfermidade não tem cura e pode levar a vítima – animal ou humano – ao óbito em menos de sete dias. 

Como evitar? 

– Mantenha o animal em casa sob sua vigilância e, quando sair para passear, use coleira e guia, evitando contato com outros animais desconhecidos;
– Evite fazer carinho ou ter contato com cães e gatos desconhecidos para evitar um possível ataque;
– Caso dê o azar de ser mordido ou arranhado por um cão ou gato, lave imediatamente o local com água e sabão e procure orientação médica na unidade de saúde mais próxima o quanto antes;
– Para os felinos, fique atento com as saídas noturnas para locais abertos e próximos a lugares altos, como telhados e árvores – isso ajuda a evitar o contato com morcegos, que também podem ser portadores da doença.
– A raiva tem poucos casos registrados no Brasil nos últimos anos, porém as zonas rurais, por exemplo, podem apresentar maior probabilidade de terem morcegos e outros animais infectados, o que potencializa a transmissão da raiva ao seu pet. Assim, evite que seu familiar de quatro patas tenha contato com esses animais transmissores.

Deixe uma resposta