Veterinária da Petz orienta sobre os cuidados ao escolher um bichinho de estimação

#AgitoPet

Rede de pet shops alerta para a importância da posse responsável, tanto nos eventos de adoção como nas lojas, para evitar abandonos e maus-tratos

Por despertarem paixão, os pets muitas vezes são procurados como presente em datas especiais, como no Dia dos Namorados. Mas presentear com um bichinho de estimação, seja adotado ou comprado, requer cuidados, pois é uma vida que a pessoa vai levar para casa. Por isso, a Petz orienta, tanto nos eventos de adoção como nas lojas, sobre a posse responsável, para evitar abandonos e maus-tratos.

“A decisão de ter um bichinho deve ser bem pensada, e não apenas por causa de uma data comemorativa”, afirma a veterinária Giulliana Tessari, gerente técnica e responsável pelo projeto Adote Petz. “É importante saber que a expectativa de vida de um gato ou cachorro é de mais de 12 anos e, durante todo este período, ele precisará de cuidados, atenção e muito carinho.”

A Dra. Giulliana alerta para várias medidas que devem ser levadas em consideração. “A primeira delas é ter consciência de que a vida vai mudar, com gastos, cuidados e tempo disponível”, explica a veterinária. “Mas o trabalho é recompensado, pois não tem felicidade igual. Ser recebido pelo pet ao chegar em casa é a melhor coisa do mundo.”

No caso de adoção, esses cuidados devem ser redobrados. “Não se faz adoção por impulso, de forma alguma”, reafirma a Dra. Giulliana. Inspirada neste tema, a Petz acaba de lançar uma campanha para incentivar a adoção (link: https://youtu.be/l2mKRcD8BRQ). Criada pela Ogilvy Brasil, a ação “Ame de Novo” mostra que o amor de um pet é para sempre.

Dez dicas para a posse responsável:

1 – Cães e gatos podem viver mais de 12 anos, por isso, levar um pet para casa é um compromisso para a vida toda.

2 – É importante saber se a família mora em um lugar que aceite bichinhos, se há espaço para o pet viver com o mínimo de conforto, se alguém é alérgico à pelagem e se os vizinhos não se importarão com os latidos.

3 – A casa deve ser estruturada para receber o pet, com proteção de tomadas, cuidados ao acesso a produtos de limpeza e plantas tóxicas, incluindo arranhadores para gatos e rede nas janelas, além de um cantinho confortável para ele descansar e se adaptar ao local.

4 – Os cães são ativos, requerem passeios diários e não gostam de ficar muito tempo sozinhos. É preciso dedicar um tempo para dar atenção, interagir, brincar e passear com eles.

5 – Os gatos se adaptam melhor às horas em que os donos estão fora de casa, porque dormem mais de 10 horas por dia. Mas também precisam de atenção e cuidados.

6 – Ter um cão ou gato envolve gastos com saúde e bem-estar. Os pets vão precisar de visitas semestrais ao veterinário, carteira de vacinação em dia e uma boa ração, além de banho e tosa, petiscos, brinquedos, acessórios e produtos de higiene.

7 – Também é preciso pensar também em formas de abrigar o pet quando a família for viajar. Avaliar se o orçamento permite pagar um hotel ou se há conhecidos que possam cuidar dos pets.

8 – Quando ainda são filhotes, os cães precisam de adestramento e paciência do dono para aprender a fazer as necessidades no lugar certo. Eles crescem e também podem ficar maiores do que o esperado.

9 – Algumas raças como golden retriever, shih-tzu, yorkshire, lhasa apso, maltês, schnauzer, chow chow, spitz alemão, sheepdog, bernese mountain dog, pastor de shetland, collie, cocker spaniel, akita e husky siberiano e gatos persa e himalaia exigem cuidados diários com a pelagem, como a escovação, por exemplo.

10 – As raças de pequeno porte se adaptam melhor em lugares mais compactos. Exemplos de cães para apartamento: bulldog francês, bulldog inglês, jack russel terrier, shih-tzu, lhasa apso, cocker spaniel, yorkshire, spitz alemão, pastor de shetland, pug, poodle e west highland terrier.

Deixe uma resposta