Vetnil orienta sobre a importância da vermifugação em cães e gatos

#AgitoPet

A Coordenadora de Desenvolvimento de Produtos Pet da Vetnil, Dra. Carla Coiro, alerta: Vermifugar periodicamente os animais evita infestação por endoparasitas, melhora qualidade de vida dos animais e aumenta a segurança dos tutores

Embora muitos tutores não deem a devida atenção à vermifugação dos seus pets, esse cuidado com os animais de estimação é muito importante para que estes não fiquem vulneráveis à exposição aos parasitas gastrointestinais e também para evitar a transmissão desses parasitas aos tutores. Sabe-se que a relação entre pet e tutor é bastante estreita, e essa proximidade pode possibilitar a transmissão de verminoses dos animais para seus tutores, quando os pets não estão devidamente vermifugados.


Os parasitas são organismos que infectam outros seres vivos para retirar desses os meios para a sua sobrevivência como nutrientes da alimentação ou sangue do animal. O contato e a infestação por diferentes espécies de vermes de cães e gatos podem ocorrer em várias situações, como por exemplo, durante os passeios, quando os animais entram em contato com água, comida e fezes contaminadas por ovos ou larvas dos parasitas. Também pode ocorrer de outras formas, como por meio da picada de mosquito que alberga a larva do parasita, pela ingestão de pulgas contaminadas, e até mesmo pela transmissão placentária ou pelo leite durante a amamentação, quando a mãe está infectada.


De acordo com a Coordenadora de Desenvolvimento de Produtos Pet da Vetnil, Dra. Carla Coiro, os sinais clínicos podem variar de acordo com o parasita, porémum dos primeiros sintomas é a presença de diarreia com odor forte e perda de peso. Em alguns casos, pode haver a presença de sangue nas fezes, e essa perda de sangue pode resultar em quadros graves de anemia. A presença de abdômen volumoso, cansaço excessivo ou indisposição, perda de brilho nos pelos, que ficam opacos e quebradiços, também fazem parte dos sinais mais comuns. “Se alguns desses quadros forem identificados no seu cão ou gato, deve-se procurar atendimento veterinário o quanto antes para minimizar os riscos à saúde do seu pet”, afirma.


É fundamental instituir um calendário de vermifugação preventiva junto ao médico veterinário. Em geral, a primeira vermifugação é realizada com quatro semanas de vida e normalmente os protocolos instaurados envolvem a administração de duas a três vezes ao ano do vermífugo, dependendo do estilo de vida e dos locais, em que o animal é exposto,repetindo sempre a dose inicial após 15 dias. Nas fêmeas em reprodução, o indicado é realizar a vermifugação 10 dias antes do parto e três a quatro semanas pós-parto”,complementa Dra. Carla.


“Escolher, junto ao médico veterinário, um vermífugo de amplo espectro, impedirá a infestação e as possíveis reinfestações em várias situações, protegendo e conferindo a saúde e o bem-estar do pet”, orienta ainda Dra. Carla Coiro.


Dicas da Vetnil


Vetmax®Plus e Vetmax®Plus Suspensão Oral 
– vermífugo de amplo espectro, indicado no combate às infestações por nematelmintos (vermes redondos) e platelmintos (vermes chatos) gastrintestinais de cães e gatos. Deve-se administrar por via oral a quantidade de comprimidos ou mL proporcional ao peso do animal, e caso necessário repetir a medicação após 15 ou 30 dias, ou a critério do médico veterinário. A apresentação em suspensão possui frasco de 30 mL com seringa dosadora, tornando a administração muito mais simples em algumas situações. No combate ao Dipylidium Caninum convém, concomitantemente ao tratamento com  Vetmax®Plus ou Vetmax®Plus Suspensão Oral, combater as pulgas do animal e do ambiente onde vive.

Deixe uma resposta