Animais de estimação viram alvos de ladrões em São Paulo

#AgitoPet

Os animais de estimação se tornaram alvos de sequestradores em São Paulo, atraídos pelos altos valores de algumas raças de cães e gatos com alto valor no mercado de pets. A SSP-SP (Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo) registrou 1.124 ocorrências de roubos e furtos de cães e gatos. As raças mais caras são mais visadas.

A analista de sistemas Juliana da Conceição Nogueira ainda se emociona quando se lembra de Tim Maia, um pug de três anos que havia sido presente por um amigo. “É um pedacinho da gente que vai embora. Quando vejo as coisinhas na caixa é muito dificil”, lamentou.

Levado da casa onde a jovem mora com a mãe e a avó, em novembro do ano passado, o cachorro tem valor de mercado de até R$ 6 mil. “É uma violência sem tamanho. Me sinto impotente. Estamos acostumados a levar bens materiais. Mas levar o cachorro pelo seu valor, eu nunca ia imaginar”, complementou Juliana.

Já a enfermeira Ana Ribeiro lamenta o desaparecimento do Thor, um yorkshire — raça conhecida por ser bastante amorosa — que escapou quando estava sob os cuidados de uma vizinha da dona. Em um momento de distração, a mulher deixou o portão de casa aberto.

A dona do pet disse que tomou algumas providências para recuperar o cão, mas ainda sem sucesso. “Comecei a soltar cartazes, colocar nas redes sociais, se alguém tinha visto. Não consegui acesso às câmeras [de monitoramento da rua]”, contou.

A Polícia Civil recebe pelo menos uma queixa por dia e recomenda aos donos que registrem o boletim de ocorrência. No entanto, esse tipo de crime não tem solução e as melhores formas de prevenção são evitar deixar os pets com estranhos e ficar atento durante os passeios nas ruas.

“Você precisa registrar um boletim de ocorrência. A polícia precisa recolher todas as investigações para saber quem é furtador roubador daquele animal”, orientou o advogado criminalista Pedro Iokoi.

Fonte: R7

Deixe uma resposta