Cães idosos: Quais os cuidados necessários?

#AgitoPet

Médica-veterinária lista 8 dicas para a saúde e o bem-estar dos cães idosos

Menos energia, sonecas extras, mas o mesmo carinho de sempre! O envelhecimento faz parte da trajetória dos pets, e como os humanos, eles também são impactados pela passagem do tempo.  No caso dos cães a senilidade traz mudanças comportamentais e físicas.

Com a idade, pode surgir o desenvolvimento de deficiências nas funções locomotoras, cardiorrespiratórias, renais, urinárias, além de fragilizar o sistema imunológico, tornando o pet mais suscetível a infecções. Por isso, nessa fase, os tutores precisam redobrar a atenção e os cuidados com os cães.

“As visitas ao veterinário devem se tornar mais frequentes, e podem ser feitas semestralmente para um acompanhamento mais próximo do estado de saúde geral do animal”, explica e a médica-veterinária e gerente de produtos da Unidade de Pets da Ceva Saúde Animal, Priscila Brabec.

Além de um acompanhamento mais próximo com a saúde do pet é fundamental que os tutores também invistam em uma série de cuidados para o conforto e bem-estar dos cães idosos. Pensando em auxiliar nesse processo, a profissional listou oito dicas para ajudar os tutores. Confira:

1– Cuidados com a alimentação

As necessidades nutricionais dos cães mudam em cada faixa etária. Por isso, é importante que o animal tenha uma alimentação balanceada que garanta acesso aos nutrientes necessários. O indicado é sempre consultar o médico-veterinário para que o profissional possa traçar um plano alimentar personalizado que atenderá as demandas específicas do cão. Outro ponto de atenção é a manutenção do peso, os ossos e as articulações dos cães são bastante afetados com a idade, nesse caso o sobrepeso pode agravar sintomas como dores locais, ou até mesmo causar doenças, por conta da carga extra sobre as articulações.

2 – Atenção com a higiene

A senilidade pode deixar os animais mais sensíveis. É preciso ter cuidado redobrado na hora da higiene, evitando banhos em dias muito frios e utilizando produtos adequados. A pele costuma ficar mais sensível, por isso, pode ser indicado o uso de produtos específicos. É preciso também atenção com a manutenção da higiene bucal, fazendo a limpeza diária da área evita-se o acúmulo de tártaro e a proliferação de bactérias, que podem causar diversos problemas e dificultar a mastigação. Os quadros de otite são estimulados, muitas vezes, pelo acúmulo de cera nos ouvidos, para evitar o problema é preciso limpar os ouvidos do pet periodicamente com produtos específicos para a região.

3 – Atente-se ao nível de mobilidade do pet

Problemas como artrite e artrose são comuns nessa fase da vida dos pets. Isso pode fazer com que o animal tenha sua mobilidade reduzida. Além do tratamento adequado para essas doenças é fundamental que os tutores invistam em medidas que facilitem a locomoção do pet no ambiente, como, por exemplo, facilitar o acesso para o local onde ele faz suas necessidades fisiológicas, ao comedouro e bebedouro e as áreas de descanso.

4 – Mantenha uma rotina de exercício

É natural que o pet tenha menos disposição de modo geral, mas isso não deve impedir que mantenham uma rotina de exercícios moderada. Caminhadas curtas, em horários com temperatura amena, como início da manhã e fim da tarde, assim como brincadeiras dentro de casa são medidas indicadas para manter o cão ativo fisicamente e mentalmente.

5 – Cochilos extras
Muitos tutores se preocupam com o excesso de sono dos pets, mas é uma tendência natural. O cão idoso pode dormir mais e passar mais tempo deitado. É muito provável que ele fique por longos períodos em repouso na caminha ou em outro ambiente onde se sente confortável. É preciso compreender e respeitar essa mudança comportamental do animal. Nos momentos em que ele estiver acordado, é importante estimulá-lo com brincadeiras e brinquedos interativos para que o cão se mantenha bem fisicamente e mentalmente.

6 – Cuidado com as mudanças de temperatura

Os cães são sensíveis as mudanças de temperatura. Por isso, em dias muito quentes, é necessário manter o pet sempre em locais arejados, longe de correntes de vento e sem contato direto com o sol. Em dias frios, mantenha-o aquecido. Dessa forma é possível garantir o conforto do cão.

7 – Avalie a interação com outros pets

A interação com outros animais irá depender do comportamento do cão. Os pets mais sociáveis costumam manter seu nível de interação mesmo na terceira idade, podendo apenas ter menos energia para brincar com os animais mais jovens. Porém, caso o pet seja mais introvertido o ideal é ter cuidado e evitar interações sociais que possam estressar o animal.

8 – Uso do odor materno canino no ambiente para bem-estar e conforto.

Existe no mercado, um produto que é a cópia sintética do odor materno canino e quando presente no ambiente, é capaz de transmitir ao cão a sensação de bem-estar, conforto e tranquilidade. Esse produto tem na versão de difusor ou spray e pode ser utilizado no ambiente para melhorar o bem-estar do pet.

Deixe uma resposta