Campanha vai escolher nome de futuros cães-guia da escola Hellen Keller 

#AgitoPet

Pessoas podem sugerir nomes dos filhotes até o dia 26 de julho e enviar para o e-mail [email protected]
 
 – Oito filhotes de labradores aguardam por sugestões de nomes na Escola de Cães-Guias Helen Keller, a única da América Latina membro da Federação Internacional de Cães-Guia, localizada em Balneário Camboriú (SC). Pessoas são convidadas a nomearem os cachorros que, após receberem treinamento especializado, serão entregues gratuitamente às pessoas cegas ou com baixa visão. As sugestões de nomes, para as três fêmeas e os cinco machos da ninhada, podem ser enviadas até o dia 26 de julho pelo e-mail [email protected].
 
Os nomes devem ser curtos, de fácil pronúncia e não podem ser próprios. Todas as sugestões precisam iniciar com a letra de referência “G”. O secretário executivo da Escola de Cães-Guias Helen Keller Daniel Picoloto Bernardini explica que “a instituição realiza um programa para o desenvolvimento de um plantel genético e busca cães cada vez mais pré-dispostos ao trabalho de guia, sendo que essas ninhadas são classificadas em ordem alfabética”.
 
De acordo com Bernardini, o objetivo da ação de escolha dos nomes dos filhotes é envolver a comunidade, dar visibilidade ao trabalho e buscar parceiros e colaboradores. As opções escolhidas serão divulgadas nas redes sociais (Facebook e Instagram) e no site oficial da Escola no dia 29 de julho.
 
Escola busca voluntários para socialização dos Cães-Guias
 
O nascimento dos filhotes também demanda novos socializadores. As pessoas interessadas em serem voluntárias nesta ação devem preencher o formulário no site da escola www.caoguia.org.br e aguardar o contato do corpo técnico. Os tutores selecionados ficarão com o cão pelo período de 18 meses, no qual o levarão aos locais privados e públicos de uso coletivo, incluindo ambiente de trabalho, transporte, alimentação, entre outros.
 
Durante o período de socialização, a Escola de Cães-Guias Helen Keller fornece gratuitamente alimentação, atendimento veterinário, suporte técnico e o treinamento para os cães. O processo de convívio com o animal começa quando eles estão com cerca de 45 dias e, após esse período, o animal retorna para a instituição para receber o treinamento técnico que o qualificará como guia. Se ele for graduado e não apresentar nenhum problema de saúde ou comportamental, será adaptado e doado a um deficiente visual.

Deixe uma resposta