Colesterol também é preocupação para a saúde dos pets

#AgitoPet

Veterinária da Petz orienta sobre os cuidados para evitar evolução de doenças como obesidade e diabetes

A elevação do índice de colesterol no organismo também é uma preocupação para a saúde dos pets. No Dia Nacional de Combate ao Colesterol, celebrado em 8 de agosto para ajudar na conscientização do problema, a veterinária da Petz Patrícia Pontes alerta sobre o risco e a importância de identificar e controlar os seus níveis entre os cães e gatos.

“Nos pets, o colesterol é avaliado junto com os triglicerídeos, e o aumento dos dois pode trazer vários problemas ao organismo, como a resistência insulínica, aterosclerose, podendo também estar associado à obesidade”, afirma a Dra. Patrícia.

O nível elevado pode ser um indicador de doenças hormonais ou metabólicas, como diabetes, hipotireoidismo, hiperadrenocorticismo e doenças renais, podendo trazer risco de provocar problemas na retina e córneas dos pets. Diferentemente dos humanos, o infarto do miocárdio não seria uma complicação dos níveis altos de colesterol e triglicérides, devido ao tipo de vascularização.

Cuidados

Os Schnauzers são as raças mais predispostas a desenvolverem a hiperlipidemia e hipercolesterolemia sem associação com outras doenças. “Quando existe aumento de colesterol e triglicerídeos, o veterinário precisa primeiro investigar doenças hormonais e/ou metabólicas e, quando essas causas forem descartadas, pode-se considerar a hiperlipidemia idiopática, conhecida também como dislipidemia primária”, avalia a veterinária.

5 dicas para combater o colesterol nos pets

1 – Evitar petiscos a toda hora, pois eles são ricos em gorduras.

2 – Dieta rica em fibras e pobre em gorduras, com rações adequadas para reduzir o colesterol. Mas sempre com a indicação do veterinário.

3 – Estimular exercícios e atividades físicas, como passeios e brincadeiras, porque ajudam a gastar energia e a queimar gordura, o que acaba utilizando o colesterol em excesso no organismo para isso, além de prevenir o diabetes.

4 – Realizar exames periódicos, incluindo o colesterol e triglicérides ao check-up sanguíneo.

5 – Dependendo dos níveis séricos de hiperlipidemia, é necessário uso de medicamentos para controle, sempre com acompanhamento do médico veterinário.

Deixe uma resposta