Como tratar a otite externa, doença que afeta um em cada cinco cães

#AgitoPet

A otite externa é uma inflamação do canal auditivo que geralmente está associada à infecção e é uma doença bastante comum – afeta um em cada cinco cães1 – e pode causar uma série de desconfortos, dentre eles, inchaço e dor, que afetam muito a qualidade de vida do cão.

Diversos fatores podem contribuir para o desenvolvimento da otite, como alergias (inclusive alimentares), água dentro da orelha, estrutura do canal auditivo em si (orelhas compridas ou peludas), predisposição da raça, corpo estranho, parasitas no canal da orelha, como carrapato, pulga, que acabam provocando irritação, dentre outros.

O tratamento da otite pode ser longo e estressante tanto para o cão, quanto para o tutor, pois geralmente envolve a administração contínua de medicamentos tópicos aplicados diretamente na orelha. Os cães podem se tornar medrosos no momento da aplicação, não permitindo que o medicamento seja administrado corretamente ou pode, até mesmo, machucar seu tutor, pois a dor muitas vezes leva à agressividade. Por isso, um tratamento simples e prático contribui para preservar o vínculo entre o tutor e seu pet, garantindo alívio ao desconforto no processo de reabilitação. 

Como identificar se o cão está com otite? Um cão com otite externa pode apresentar alterações em seu comportamento como, visível desconforto à manipulação das orelhas, não permitindo a aproximação da região, balançar a cabeça com mais frequência, coçar ou podemos também, notar que o cão tem maior quantidade de cerúmen no canal auditivo. O cerúmen auxilia na proteção do canal ao preservar a umidade e elasticidade da região, porém, em excesso, pode atuar como um fator que contribui para o desenvolvimento de otite ou mesmo ser indicativo de que já existe a doença instalada. A produção de cerúmen é fisiológica e pode ter coloração acastanhada ou amarelo claro, entretanto, para o diagnóstico de otite, é importante que o tutor converse com um médico veterinário de sua confiança. A consulta é fundamental para que o profissional avalie, identifique a causa e trace um plano de tratamento. Não devemos reconhecer a infecção como causa da otite, pois ela é secundária a fatores que agem facilitando a proliferação de bactérias e fungos, que resultam no agravamento do quadro. Portanto, caso suspeite que seu cão esteja com otite, converse com o médico veterinário, ele dará todas as informações necessárias, com diagnóstico e tratamento adequado para seu animal. O médico veterinário conhece as melhores opções e você pode questioná-lo sobre um tratamento mais conveniente e confortável para você e seu melhor amigo.

Orientações gerais para o tutor cujo cão está com otite externa: 

  • Consulte um médico veterinário;    
  • Recomendamos cuidado com as orelhas ao permitir que seu cão entre na água. Água dentro do canal pode fazer com que ele desenvolva otite; 
  • Tenha cuidado ao tocar nas orelhas do seu animalzinho, pois em casos de otite, a dor é frequente; 
  • Não limpe as orelhas sem orientação de um profissional; 
  • Dê muito amor para seu animalzinho; 

E, por último, fique tranquilo! A medicina veterinária tem avançado muito e cada vez mais temos acesso a soluções inovadoras, estrategicamente planejadas para descomplicar nossa vida. E lembre-se de que quando se trata de otite, o tratamento precoce pode ser um fator decisivo na qualidade de vida do seu cão.

Uma decisão assertiva é capaz de garantir tranquilidade para você e conforto para seu melhor amigo!

1Angus J C: Otic cytology in health and disease. Vet Clinics of North America Small Animal Practice. 2004 Marc; 34(2):411-24

Deixe uma resposta