Pets e a nova configuração das famílias brasileiras

#AgitoPet

No Dia Internacional da Família, comemorado em 15 de maio, cães e gatos se tornaram parte dessa celebração

Com o passar dos anos, cada vez mais, os pets vem ocupando um novo espaço dentro dos lares brasileiros e hoje já não são considerados apenas animais de estimação, mas sim membros da família. Com os espaços urbanos reduzidos, pessoas morando sozinhas e muitas famílias optando por não ter filhos, cães e gatos se tornaram uma opção para companhia, dar e receber afeto e atenção. Não é à toa que, de acordo com levantamento feito pelo Instituto Pet Brasil, existem cerca de 139,3 milhões de animais de estimação no país, número que continua crescendo.

Ainda de acordo com o Instituto, o destaque vai para o aumento de casas que escolheram o gato como companheiro. No acumulado, esse foi o animal que mais cresceu nos lares brasileiros, com alta de 8,1% desde 2013. Isso se deve ao fato de mais pessoas morando sozinhas em espaços menores, principalmente nas grandes cidades, o que as faz optar por pets cujo cuidado no dia a dia seja mais simples, ou que exijam menos espaço, como os felinos.

“O que notamos ao longo dos anos é uma mudança no comportamento dos tutores. Eles estão cada vez mais engajados e preocupados com os pets, prezando por uma alimentação de qualidade e entendendo a importância da nutrição para o bem-estar dos animais”, explica Eduardo Lima, Diretor do Portfólio de Gatos da Mars Petcare no Brasil. “Acredito que muito se deve ao fato de os tutores perceberem no dia a dia os benefícios emocionais do convívio com os pets. Pesquisas feitas pela Mars mostram que os animais podem agir como “amortecedores de estresse”, aliviando sentimentos negativos como ansiedade e tristeza. Sendo assim, nada mais justo do que retribuir tudo isso com o melhor cuidado para eles não é mesmo?”, completa Eduardo.

A veterinária e parceira da Mars, Dra. Manuela Fischer, também tem essa percepção com relação aos tutores brasileiros. “O que venho observando é que cada vez mais os tutores têm buscado especialistas, investindo em consultas e tratamentos mais caros para que tenham o melhor atendimento possível, com profissionais dedicados exclusivamente à determinadas áreas da medicina veterinária. Também vemos a quantidade de acessórios, brinquedos e petiscos disponíveis no mercado atualmente, mostrando que os tutores prezam muito por agradar os animais”, conta a veterinária.

E essas percepções se confirmam quando vemos que, no mundo, os gastos no segmento de cuidados com animais aumentaram 66% na última década, de acordo com a empresa de pesquisas Euromonitor International. Isso prova que os pets estão cada vez mais próximos dos seres humanos, ocupando um espaço de membro da família. Uma tendência que continuaremos vendo pelos próximos anos, principalmente nas grandes cidades.

Deixe uma resposta