Posse responsável de cães e gatos ajuda a evitar abandono e maus-tratos

#AgitoPet

Veterinária orienta sobre os cuidados ao escolher um bicho de estimação e alerta para a importância da conscientização ao tratar de uma vida

Por despertar paixão, os pets muitas vezes são procurados para presentear alguém em datas especiais. Mas ter um bichinho de estimação, seja adotado ou comprado, requer cuidados, pois é uma vida que a pessoa vai levar para casa. Por isso, a rede de pet shops Petz orienta sobre a posse responsável, tanto nas lojas como nos eventos de adoção que realiza, para evitar maus-tratos e abandonos. Estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que há 30 milhões de bichos nessa situação no Brasil.

“A decisão de ter um bicho de estimação deve ser bem pensada. Não se faz adoção ou compra de animais por impulso, de forma alguma. Antes, as pessoas precisam ter consciência de que a vida vai mudar, com gastos, cuidados e tempo disponível”, afirma a veterinária Giulliana Tessari, gerente responsável pelo projeto Adote Petz. Ela alerta para várias medidas que devem ser levadas em consideração. “É importante, por exemplo, saber que a expectativa de vida de um gato ou cachorro é de mais de 12 anos e, durante todo este período, ele precisará de cuidados, atenção e muito carinho.”

Mutirão

Em parceria com 36 ONGs, a Petz promove eventos de adoção em suas lojas nos finais de semana e a adoção permanente de gatos em algumas unidades. Já foram adotados 34.232 cães e gatos desde 2007, quando o projeto Adote Petz foi criado. Também participa de ações como o mutirão para controle populacional que ocorreu em janeiro em Florianópolis, em parceria com o Hospital Veterinário Jurerê e com a ONG Vila dos Bichos.

8 dicas para a posse responsável:

1 – Cães e gatos podem viver mais de 12 anos, por isso, levar um pet para casa é um compromisso para a vida toda.

2 – É importante saber se a família mora em um lugar que aceite bichinhos, se há espaço para o pet viver com o mínimo de conforto, se alguém é alérgico à pelagem e se os vizinhos não se importarão com os latidos.

– A casa deve ser estruturada para receber o pet, com proteção de tomadas, cuidados ao acesso a produtos de limpeza e plantas tóxicas, incluindo arranhadores para gatos e rede nas janelas, além de um cantinho confortável para ele descansar e se adaptar ao local.

4 – Os cães são ativos, requerem passeios diários e não gostam de ficar muito tempo sozinhos. É preciso dedicar um tempo para dar atenção, interagir, brincar e passear com eles.

5 – Os gatos se adaptam melhor às horas em que os donos estão fora de casa, porque dormem mais de 10 horas por dia. Mas também precisam de atenção e cuidados. 

6 – Ter um cão ou gato envolve gastos com saúde e bem-estar. Os pets vão precisar de visitas semestrais ao veterinário, carteira de vacinação em dia e uma boa ração, além de banho e tosa, petiscos, brinquedos, acessórios e produtos de higiene.

7 – Também é preciso pensar em formas de abrigar o pet quando a família for viajar. Avaliar se o orçamento permite pagar um hotel ou se há conhecidos que possam cuidar dos pets.

– Quando ainda são filhotes, os cães precisam de adestramento e paciência do dono para aprender a fazer as necessidades no lugar certo. Eles crescem e também podem ficar maiores do que o esperado. 

Deixe uma resposta