Verão e férias: confira alguns cuidados importantes com os pets

#AgitoPet

Assim como os seres humanos, gatos e cães precisam de cuidados especiais na época mais quente do ano

O mundo petfriendly é uma realidade e durante as férias de verão muitos lugares, como hotéis, restaurantes, companhias aéreas e rodoviárias, tem se organizado para receber cada vez mais gatos e cães. Mas, antes de sair é importante se programar e pensar se o pet será parte dos planos ou não.

Pensando nisso, a Dra. Priscila Rizelo, Médica-Veterinária e Coordenadora de Comunicação Científica da ROYAL CANIN® Brasil, destaca pontos importantes a serem avaliados nesse período, os quais buscam garantir o bem-estar e a saúde do pet. “Sabemos que durante o verão é comum que as pessoas estejam mais ativas para fazer determinados passeios na companhia da família e dos pets, porém, além do animal passar por um check-up veterinário, é importante que os tutores estejam atentos às exigências regulamentares para transportes terrestres e aéreos, e que o local escolhido não possua nenhuma espécie de parasita ou que o pet esteja protegido contra eles,” explica a Dra. Priscila.

Confira as dicas da Médica-Veterinária para um período de férias e verão saudável ao lado do pet:

• Busque não alterar a rotina do animal (horários de alimentação, passeios e brincadeiras, por exemplo).

• Caso o seu destino seja a praia, certifique-se dos cuidados especiais com alguns tipos de parasitas. Informe-se previamente com o Médico-Veterinário de sua confiança e lembre-se que em muitas praias a permanência de animais de estimação é proibida.

• Mantenha sempre água limpa e fresca à disposição.

• Fique atento ao piso quente, que pode queimar as patas e causar sofrimento aos animais. Também atente ao calor que ele sente quando exposto ao sol, principalmente os gatos e cães de pelos longos e braquicefálicos, de focinhos achatados, como: Pug, Bulldog Inglês, Bulldog Francês, Boston Terrier, Pequinês, Boxer, Dogue de Bordeaux, Shih Tzu, Boston Terrier e Boxer.

• Busque mantê-los em locais frescos, com sombra e vento para ajudar a controlar a temperatura corporal dos pets. Nessa época do ano, os pets tendem a preferir deitar-se em superfícies frias ao invés das caminhas de tecido mais quentes, porém as opções devem estar sempre disponíveis para escolha deles.

• Espalhe potes com água pela casa e fontes de água corrente para os gatos. Adicionar algumas pedras de gelo na água ajuda a deixá-la mais fresca e pode ser divertido, caso os pets queiram brincar com elas.

• Além disso, a alimentação também pode ajudar a manter os pets hidratados no calor. Os alimentos úmidos possuem alto teor de água em sua composição e, por isso, aumentam a quantidade de água ingerida pelos pets. Incluir alimentos úmidos na rotina de alimentação dos pets, junto com o alimento seco, é conhecido como mix-feeding ou alimentação combinada. Podem ser oferecidos de forma única em um comedouro separado da alimentação seca, preferido pelos gatos, e/ou combinados com alimentos secos como é muito bem aceito pelos cães.

• Se for viajar de carro, passeie com o animal antes de ele entrar no veículo para que ele faça suas necessidades. Além disso, o ideal é que o animal se acostume com o movimento do veículo antes de iniciar o percurso.

• Não é indicado que o animal seja alimentado antes das viagens e durante o trajeto, já que eles podem ficar enjoados.

• Nunca deixe o pet solto dentro do carro. O recomendado é utilizar caixa de transporte adequada ou, para cães, cinto de segurança próprio.

• Não permita que o animal coloque a cabeça para fora da janela, pois isso pode causar machucados no caso de impacto com insetos ou pedras.

• Vale lembrar que o pet deve estar devidamente identificado com plaquinha na coleira ou microchip, além de estar em dia com vermifugação, vacinações, antipulgas/carrapatos.

Para quem não tem a intenção de viajar com seu pet, a Médica-Veterinária também destaca uma série de cuidados essenciais como:

• Não deixe o animal sozinho durante o período em que estiver ausente. Disponibilizar alimento e água não garante que ele estará bem durante a ausência dos tutores. O simples fato de ele estar sozinho em casa já gera um grande estresse no animal, que sentirá falta da rotina da família, da presença física das pessoas, das brincadeiras e carinho.

• É recomendado buscar um serviço profissional especializado, dentre eles hotéis para animais, ou pet-sitters que visitem a residência diariamente e amenizem a ausência da família, além de zelar pelos cuidados de saúde e bem-estar do pet.

• Para os gatos, vale lembrar que os bichanos, de forma geral, são pets mais sensíveis a estresse e que a saída do seu ambiente e de sua rotina muitas vezes é traumática. Os gatos se sentem mais seguros quando permanecem em casa, em seu ambiente, com uma pessoa de confiança ou um profissional especializado para prestar os cuidados durante a ausência do tutor.

• Caso decida deixar o pet em algum hotel ou com alguém, é importante entender se o local é adaptado para recebê-lo, garantindo sua saúde, segurança e bem-estar.

Deixe uma resposta