Você sabe como é produzido o alimento do seu pet?

#AgitoPet

 

Conheça as curiosidades do processo de fabricação do alimento do seu melhor amigo!

 

Quando seu melhor amigo sai correndo feliz em direção ao potinho de ração que acaba de ser servido, muitas vezes o tutor não faz ideia do que está por trás daquele alimento, especialmente quando o assunto é processo de fabricação.

A Royal Canin, uma das maiores fabricantes do mundo de alimentos de alta qualidade e segurança alimentar para gatos e cães, mostra algumas etapas fundamentais e outras até curiosas sobre a produção das rações para gatos e cães.

Formulação: Na Royal Canin, os produtos são formulados com base na precisão nutricional, e é na sede da empresa, no interior da França que isso ocorre. Especialistas em nutrição trabalham com base nas necessidades de cada animal sempre associados à evidências científicas atualizadas.

Seleção da matéria-prima:  toda a matéria-prima que chega à fábrica da Royal Canin, em Descalvado, vem de um fornecedor rigorosamente selecionado e que deve atender a todos os padrões de excelência em segurança e qualidade.

Ao chegar na fábrica, a matéria-prima permanece dentro do caminhão, em uma área externa, para uma averiguação inicial. Lá são coletadas amostras por meio de uma sonda de lugares e profundidades diferentes do caminhão para que sejam analisadas imediatamente em laboratório. Se houver qualquer tipo de irregularidade no conteúdo o caminhão retorna imediatamente e não chega se quer próximo a área de descarregamento.

 

Ao ser aprovada, a matéria-prima vai para o interior da fábrica sem qualquer contato humano, evitando, assim, contaminação. O processo de descarregamento é feito por meio da inclinação do caminhão, que despeja o conteúdo em uma espécie de “funil gigante”, para que seja armazenado em reservatórios (silos) de onde serão utilizadas as quantidades necessárias para a fabricação de cada tipo de alimento.   

 

Ingredientes, muitos ingredientes: para produzir um alimento completo e balanceado, é necessário utilizar diversas fontes de nutrientes, garantindo que o pet receba as proteínas, gorduras, carboidratos, fibras, vitaminas e minerais necessários para contribuir para a saúde e longevidade.

 

Receita tecnológica: A formulação correta de cada tipo de alimento é garantida por meio do acompanhamento de sistemas de computadores presentes no interior da fábrica. São neles que os especialistas inserem a “receita” para aquele determinado produto. A partir dali as máquinas pesam, misturam e trituram as matérias-primas que, em seguida, serão cozidas em alta pressão e temperatura, por meio de um processo chamado extrusão.

 

   O alimento ganhando forma: Para isso, ao final da extrusão, a massa do alimento é empurrada através de uma placa e cortada por lâminas, moldando o formato final e tamanho de cada croquete ou tipo de alimento, sempre mantendo as características ideais e o padrão de qualidade global exigidos pela marca.

 

 

 Secagem: após o alimento ganhar sua forma final, é preciso realizar a secagem em outra máquina para que ele possa ficar com a umidade ideal.

Recobrimento e engorduramento:. O objetivo desta fase de processamento é aumentar a palatabilidade do produto, tornando mais atraente para o pet, além de nutritivo. Vale lembrar que a gordura aqui não tem conotação negativa, ela faz parte dos nutrientes que o cão e o gato precisam ao longo do dia, sendo incluída de forma precisa, mantendo a qualidade e colaborando para a saúde do seu melhor amigo.  

Embalagem:  a embalagem tem a função de preservar e proteger o alimento, sendo todo o processo de empacotamento automatizado. As máquinas, previamente programadas, acomodam e pesam os pacotes antes de liberá-los para o corte e armazenamento.

Nitrogênio no lugar de oxigênio: Para alguns tipos de embalagens, no momento de fechamento, a máquina retira parte do oxigênio presente no pacote e injeta uma quantidade de nitrogênio. Esse processo contribui para a conservação do alimento, limitando a oxidação e mantendo a sua qualidade por mais tempo.  

          Armazenamento para o centro de distribuição: As embalagens de alimentos são, enfim, acomodadas em paletes e transferidos para os caminhões que as levarão até os centros de distribuição e, finalmente, para os pontos de venda em que são adquiridos por você para o seu melhor amigo!

 

Deixe uma resposta