O que saber na hora de comprar a ração para o pet

#AgitoPet

Diante da infinidade de opções no mercado, por vezes os tutores de pets se veem na dúvida sobre qual a ração mais adequada para o animalzinho de estimação. Para nós, humanos, a diferença pode até parecer mínima, mas, para eles, a discrepância é bem mais expressiva.  

Embora seja um alimento industrializado, a ração é a melhor opção para os donos de pet que querem manter uma alimentação prática e balanceada. E, tendo em vista que será a nutrição diária do animal, deve ser escolhida com bastante atenção.

A grosso modo, as rações são divididas entre econômica, standard, premium e super premium. O que as diferencia é a quantidade de nutrientes e o tipo de composição dos grãos, se vegetal ou animal.

A escolha vai influenciar também no preço. Mas é importante ter em mente que nem sempre o preço mais barato vai significar, de fato, economia. Isso porque rações com menor valor nutricional precisam ser oferecidas em porções maiores. Logo, será preciso reabastecer a despensa em intervalos mais curtos de tempo. Entenda mais sobre os tipos de ração: 

Ração Econômica
São rações mais simples, produzidas com ingredientes comuns, em sua maioria de origem vegetal, a exemplo de farelos de arroz e de soja. Por terem menor custo de produção, são as mais baratas do mercado consumidor. Alguns estudos apontam que a composição desse tipo de ração tem uma baixa taxa de absorção. E, como o pet não absorve os nutrientes de maneira integral, acaba sendo necessário complementar a alimentação dele com porções maiores ou outros tipos de ração.

A grande maioria dessas rações mescla grãos coloridos e são contra-indicadas pela maioria dos médicos veterinários. É que as rações coloridas contêm muito corante, sal e temperos, no intuito de torná-las mais atrativas ao paladar dos pets, e o consumo desses ingredientes a médio e longo prazo pode gerar uma série de problemas. Entre os prejuízos mais comuns, destacam-se dermatites, alergias, queda de pelo e problemas no trato urinário e renal. As fezes também podem sofrer alteração, aumentando o volume e o odor. 

Ração Standard
São produzidas com proteínas mais simples, podendo causar indigestão em alguns animais. Também não contam com vitaminas e minerais presentes em opções de qualidade superior. 

Ração Premium
Nesse tipo de ração, embora também haja um percentual de proteína vegetal, a quantidade de ingredientes de origem animal é maior do que na standard, com a carne sendo bastante presente, além de ovo e frango. 

As rações premium contam com algumas vitaminas e minerais, mas algumas também possuem corantes, conservantes e palatabilizantes – usados para deixar o sabor mais atrativo para os animais. O mais indicado, portanto, é evitar os produtos com esses aditivos.

Ração Super Premium 
Essas são as rações mais indicadas pelos médicos veterinários, por serem elaboradas com ingredientes nobres, como salmão, cordeiro, além de carne e frango. Fora isso, são enriquecidas com vitaminas e minerais que ajudam a preservar a imunidade do pet.  

Pela qualidade da composição, tendem a ser as opções mais caras. Porém possuem taxas elevadas de absorção dos nutrientes, fazendo com que o animal fique saciado por mais tempo sem a necessidade de grandes porções. Também é vista uma redução na quantidade e atenuação no odor das fezes. 

Escolha por perfil 
Além de dar preferência a rações de melhor composição, é fundamental escolher uma opção que se adeque ao perfil do cão ou gato. Afinal, cada animal tem suas particularidades. 

Oferecer uma ração de acordo com a faixa etária do pet é essencial. Assim como nós, eles também precisam de nutrientes específicos para cada fase da vida. 

Os filhotes, por exemplo, necessitam de um suporte especial durante a fase de desenvolvimento. Já os pets adultos, com idades entre 7 e 10 anos, devem consumir uma opção menos calórica, enquanto os idosos costumam ter ainda mais especificidades.

Outro detalhe é que cães e gatos com problemas de saúde, como alergias, cardiopatias, diabetes, patologias renais, hepáticas, entre outros, precisam ter dietas específicas para manter a condição equilibrada. No caso dos caninos, o porte físico é outro fator que influencia, com diferença no tamanho dos grãos para animais de pequeno, médio e grande porte. 

Animais castrados também merecem atenção especial. No mercado, inclusive, já é possível encontrar rações específicas para cães e gatos que passaram pelo procedimento, já que alguns pets tendem a ganhar peso com mais facilidade após a cirurgia.

Fique de olho
Na hora de comprar a ração, verifique a composição na embalagem, lembrando que os ingredientes são listados por ordem de quantidade na formulação do produto. Dê preferência àquelas que não possuem corantes e aromatizantes e que são enriquecidas com vitaminas e minerais. 

Antes de oferecer ao pet, consulte o médico veterinário que o acompanha sobre a porção adequada para o tipo físico dele. E, caso troque de ração, faça uma transição gradual, a fim de evitar problemas digestivos.

Fonte: Folha de Pernambuco

Deixe uma resposta